No AR: Livre

facebook.png
logo.png
logo.png

Notícias

Comércio - 10/10/17 10:46:00
  • Procon Caxias do Sul orienta consumidores para as compras de Dia das Crianças

  • Dia 12 de outubro, quinta-feira, é comemorado o dia das Crianças Nessa época, as vitrines abusam dos coloridos e as lojas oferecerem ofertas tentadoras para atrair a atenção das crianças. Para os consumidores não terem problemas e garantirem o presente da criançada com segurança, o Procon Caxias do Sul separou algumas dicas importantes, confira a lista:
    -Sempre pesquise antes de ir às compras: os preços e as condições de pagamento podem         variar muito de um estabelecimento pra outro, principalmente na internet;
    -Fique atento às informações nas embalagens dos brinquedos: elas devem ser claras, de fácil compreensão e em língua portuguesa. Além disso, é preciso indicar a faixa etária, apontar o fabricante, dar instruções de uso, descrever todos os itens e conter a certificação do Inmetro;
    -Não compre produtos sem o selo do Inmetro: todos os brinquedos – nacionais e importados - utilizados por crianças de até 14 anos, são obrigados a ter o selo de qualidade do Instituto;
    -Observe a faixa etária indicada: as embalagens devem trazer essa informação e é importante que o consumidor respeite. Isso porque muitos brinquedos, que não são indicados para a faixa etária da criança, podem conter peças muito pequenas, que são facilmente ingeridas, e podem provocar acidentes;
    -Teste o produto adquirido: sempre que possível converse com o vendedor e peça para testar o item antes de levá-lo para casa;
    -Política de trocas: os estabelecimentos comerciais somente têm a obrigação de trocar o produto adquirido no caso de defeito de funcionamento. Por isso, trocas motivadas pela cor, tamanho e modelo devem ser acordadas com o vendedor no momento da compra. Sugere-se a anotação da seguinte informação na nota fiscal ou equivalente: “Para presente, sujeito à troca”;
    -Exija nota fiscal: além de ser um direito do consumidor, é fundamental para o caso de uma reclamação junto ao Procon;
    Foto: Daniel Bianchi