facebook.png
logo.png
logo.png

Notícias

Saúde - 26/10/16 09:24:00
  • Mulheres estão mais sedentárias que os homens, aponta pesquisa

  • Uma pesquisa aplicada em setembro de 2016 teve a finalidade de obter dados importantes sobre o cuidado com a saúde e bem-estar das pessoas na atualidade. Os 28 entrevistados (14 homens e 14 mulheres), entre 20 e 69 anos, são participantes do 23º Curso de Danças Gaúchas de Salão da Escola Marcas da Terra, em Caxias do Sul.
    A pesquisa revelou que todos os homens praticam outras atividades físicas paralelas à dança gaúcha. Eles estão na academia e no meio esportivo. O futebol aparece como o esporte favorito dos homens, que também atua como uma prática social. Já as mulheres são mais sedentárias, 28,57% só praticam a dança gaúcha nos sábados à noite, mas estão mais estimuladas que os homens a procurar outras formas de se movimentar, como outros ritmos musicais e academia.
    Este resultado vem ao encontro dos dados divulgados pelo Ministério do Esporte, em 2015. Segundo a pasta, o sedentarismo atinge 45,9% dos brasileiros, ou seja, 67 milhões de pessoas não fazem atividade física ou praticam esporte. Entre as mulheres, o índice chega a 50,4%, enquanto que, entre os homens, o porcentual cai para 41,2%. Elas praticam mais atividades físicas (34%), do que esportes (15,6%). Entre os homens, essa lógica se inverte.
    Dos participantes do Curso de Danças em Caxias, 92,86% da mulheres pretendem continuar com a prática de exercícios contra 78,57% dos homens, após o término do curso. Ainda assim a maioria das mulheres (71,43%) optam pelas caminhadas e academia, quando não estão no curso.
    O tempo em que praticam também ganhou destaque, os homens (92,86%) estão há mais de um ano com suas atividades físicas inclusas na rotina, já as mulheres se dividem entre menos de um ano (35,71%) e mais de um ano (35,71%). Há também as que se movimentam apenas durante as aulas de danças gaúchas (28,57%).
    A pesquisa também indicou que, ao praticar a dança, os participantes tiveram melhoramentos emocionais como autoestima; corporais como flexibilidade e resistência; e de convivência grupal entre os dançarinos, contribuindo para a qualidade de vida. A professora dos Cursos de Educação Física e coordenadora do Núcleo de Dança do Centro Universitário da Serra Gaúcha, Gislaine Sacchet, estima que uma pessoa gasta em média de 200 a 300 calorias por aula de dança. “Depende muito da intensidade em que ela faz a aula. A perda calórica não é igual de pessoa para pessoa; se você já é mais condicionado vai gastar mais porque vai fazer com mais intensidade, isso é normal”, avalia. Além da queima de calorias, a dança atua no fortalecimento muscular e possui outros benefícios evidentes.
    Ingressar em aulas de dança é uma alternativa que estimula muitas pessoas a iniciarem em atividades físicas. Em pouco tempo é possível notar as mudanças e benefícios que a dança traz para o corpo. “Entre os benefícios estão os físico-motores, como coordenação, equilíbrio e o próprio gasto calórico; socio-emocionais e psicológicos como autoestima, autoimagem e socialização; e as relações culturais e artísticas, como o conhecimento cultural, da tradição e da memória”, cita a professora Gislaine, lembrando que este último fator atua como um diferencial da dança que valoriza a cultura corporal e a expressividade.
    Imagem ilustrativa