facebook.png
logo.png
logo.png

Notícias

Cidade - 18/12/15 16:09:00
  • Laboratório de Criação e Aplicação de Software da UCS desenvolve jogo digital para a Festa da Uva

  • No videogame, a perfeição do traço gráfico lembra tanto a realidade que, em um primeiro momento, o jogo digital "Metal Gear" parece cena de cinema. A sensação se completa com o suspense que envolve os personagens da ação. Não por acaso, o título é o preferido do estudante de Tecnologias Digitais Milton Prestes Medeiros, de 26 anos.
    Nos últimos meses, porém, a rotina de jogos se transformou para o rapaz. Ao invés das disputas e combates travados no "Metal Gear", ele passou a lidar com os cenários do interior caxiense. As armas, essenciais para avançar de fase, foram substituídas por uvas, o fruto tradicional da região. Os combatentes que obedeciam aos comandos do jogador cederam lugar a Radicci, o personagem em quadrinhos criado pelo cartunista Iotti.
    Calma! Essa mudança drástica tem um motivo. Desde agosto, Milton integra a equipe do Laboratório de Criação e Aplicação de Software da Universidade. No bloco 71 do campus-sede da UCS, o grupo da área de Informática trabalhou contra o tempo para desenvolver um jogo digital especialmente para a Festa da Uva: a "Olímpiada Colonial da Festa da Uva" . Até fevereiro – quando se inicia o evento – a criação deve estar disponível para baixar em tablets e smartphones que utilizam as plataformas Android e IOS. Nesta quarta-feira, dia 16, o material foi oficialmente anunciado, durante coletiva de imprensa.
    Coordenadora do Laboratório, a professora Iraci Cristina da Silveira de Carli explica que a demanda do projeto partiu da própria Comissão Social da Festa da Uva. Nasceu do desejo de aproximar a comemoração do público jovem. Com tempo escasso, quatro estudantes e dois professores passaram a compreender melhor o evento e a trabalhar nas possibilidades de aplicação do game. Não demorou muito para que a equipe pensasse nas próprias Olimpíadas Coloniais como conteúdo.
    Já em agosto, as pesquisas começaram. Para o trabalho de planejar o processo, Milton ganhou a companhia da colega Tatiane Castagna Tomé, 22 anos, também de Tecnologias Digitais. Na largada, optaram pela simulação da prova de amassar uvas – aquela mesmo, bastante tradicional e que atrai a atenção, especialmente de turistas. O desafio de transferir a sensação de pisar na fruta para uma aplicação mobile, porém, não foi tão simples. O planejamento contempla etapas como a viabilidade de programação e dos aspectos gráficos, o tempo para execução e ainda a coordenação das atividades entre os membros da equipe.
    A programação ficou sob a responsabilidade do estudante de Ciências da Computação Gustavo Martins Wanser, 23 anos. Com um jeito calmo, o acadêmico teve que traduzir para a linguagem de dados o passo a passo pensado pelos estudantes de Tecnologias Digitais. Essa parte é crucial, porque nessa etapa podem surgir possíveis falhas no andamento do jogo. Só depois da programação definida é que o jogo ganha – literalmente – uma cara.
    Foto: Claudia Velho