facebook.png
logo.png
logo.png

Notícias

Cidade - 07/12/15 16:06:00
  • Sindicatos de Caxias participam de ato pelo fim da violência contra a mulher

  • Na manhã do último sábado (05), o Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região e o Sindicomerciários participaram de concentração na Praça Dante Alighieri e caminhada pelas ruas Julio de Castilhos e Sinimbú. A ação foi alusiva à campanha “16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres”,  da Organização das Nações Unidades.
    Familiares de Simone Maria Almeida da Costa, 40 anos, e Emily Eduarda dos Santos, 2, avó e neta mortas a facadas no dia 29 de novembro, também participaram do ato pedindo justiça.
    Ivanir Fátima Perrone, diretora de assuntos da Mulher do Sindicormerciários, falou sobre a importância da campanha e a participação da entidade. “O movimento trabalha a conscientização das mulheres para um direito que elas têm que é de denunciar. O disque 180 faz com que as mulheres procurem ajuda e a lei Maria da Penha veio para punir os agressores. Aumentou o número de denúncias porque as mulheres estão mais conscientes. Conscientizar a população de Caxias, que é uma cidade violenta, também é papel do Sindicato”, destacou a diretora.
    Fábio de Souza Pavão, marido de Simone, manifestou sua indignação com a violência contra as mulheres. “Estou aqui lutando junto com as mulheres, em defesa delas, pelo fim da violência. A justiça precisa ser feita. A cada 12 minutos uma mulher é maltratada, é violentada, muitas vezes por aquela pessoa que ela ama e cuida. Isso tem que acabar. Chega!”
    O Sindicato dos Metalúrgicos, através da funcionária Regina Bueno, acolheu a família de Simone. “Essa campanha é muito importante porque precisamos acabar com a violência contra a mulher. Nos sensibilizamos com tudo que ocorre, principalmente com pessoas que conhecemos. Fomos atrás de psicólogo para a filha da Simone. Ela tem só 12 anos. Se eles permanecerem em Caxias, vamos oferecer atividades para a menina no turno contrário da escola. Vamos continuar acompanhando a família”, conclui Regina.
    Durante o trajeto, o coro dos participantes pedia por “direito das mulheres”, “violência, não!”, “paz”, “assassino na cadeia” e mencionava os nomes de “Simone e Emily”.