facebook.png
logo.png
logo.png

Notícias

Saúde - 23/11/15 16:55:00
  • Saúde do homem foi debatida em reunião-almoço da CIC

  • Idade, dieta pobre em fibras e rica em gordura e hereditariedade estão entre os principais fatores de risco do câncer de próstata, que é a segunda causa de morte por câncer no mundo, perdendo apenas para o câncer de pulmão. Geralmente, o câncer de próstata é descoberto após os 60 anos. As informações são do urologista gaúcho Marcos Dall'oglio, professor da Faculdade de Medicina de São Paulo, que palestrou na reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), nesta segunda-feira (23), numa iniciativa da Diretoria de Saúde da entidade dentro da campanha Novembro Azul.
    De acordo com o médico, um em cada seis homens no mundo pode desenvolver a doença, o que representa 17% da população masculina. "Um índice bastante alto", alertou. Como prevenção à doença, Dall'oglio indicou a redução do colesterol e do peso; atividade física regular; consumo de fibras, vegetais, peixe e consumo moderado de vinho; não fumar e não beber. Ele também discorreu sobre o a hiperplasia benigna, uma das condições mais diagnosticadas de doenças da próstata, e o impacto na qualidade de vida e na saúde sexual do homem. Esse crescimento benigno, de acordo com o urologista, também tem como causa a idade avançada, a obesidade, histórico familiar e fator racial.
    A detecção do câncer de próstata é feita pelo exame de toque, exame de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico) e diagnóstico por imagem. "Se detectado precocemente, se consegue tratar com eficiência e com baixo risco de sequela", afirmou o médico. Ainda de acordo com ele, entre 15% a 20% dos homens que possuem a doença são diagnosticados com câncer indolente, ou seja, são tumores malignos que não precisam nem de tratamento, apenas de acompanhamento.  
    Foto: Silvia Cardoso/Objetiva